O PRINCIPE DE NICOLAU MAQUIAVEL PDF

Enviar Biografia de Nicolau Maquiavel Nicolau Maquiavel foi um filуsofo polнtico, historiador, diplomata e escritor italiano, autor da obra-prima "O Prнncipe". Foi profundo conhecedor da polнtica da йpoca, estudou-a em suas diferentes obras. Viveu durante o governo de Lourenзo de Mйdici. Realista e patriota definiu os meios para erguer a Itбlia.

Author:Mibei Nabei
Country:Canada
Language:English (Spanish)
Genre:Environment
Published (Last):24 February 2010
Pages:329
PDF File Size:4.34 Mb
ePub File Size:12.79 Mb
ISBN:176-7-61654-646-2
Downloads:97588
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Taramar



A propsito do carter semanticamente flutuante e politicamente estratgico dos termos maquiavelismo e maquiavlico, e para, finalmente, terminar de responder a uma pergunta cuja resposta praticamente interminvel, recordo as palavras certeiras de Claude Lefort na sua obra Le travail de luvre Machiavel: Enquanto na Frana o maquiavelismo principalmente o smbolo de uma poltica de intolerncia, cujo objetivo sujeitar a religio ao servio do governo, na Espanha ele associa-se aos partidrios da tolerncia, queles que so acusados de arruinar a unidade religiosa, com o fim nico de assegurar o poder do Estado.

Enquanto aos olhos dos jesutas o maquiavelismo o brevirio da Reforma, para os protestantes ele confunde-se com o jesuitismo. No por acaso, a assimilao do jesuitismo ao maquiavelismo tomou, num pas catlico como Portugal, foros de cidadania na formulao de um autor como Antnio Srgio10, o qual, opositor da ditadura de Antnio Oliveira Salazar11, equacionou do seguinte modo ambos os ismos nos seus Dilogos de Doutrina Democrtica : Um dia, num palcio dos arredores da cidade de Milo, a princesa italiana que nele morava mostrou-me um crucifixo de lavor artstico, obra italiana do Renascimento.

Agora, disse-me a dona, puxe pela parte superior da cruz. Brilhou uma lmina. Era um punhal com a forma exterior de um crucifixo. A tens a imagem da perverso da mente a que eu dou o nome de jesuitismo.

A religio exterior e o mal interior; a poltica a destruir a tica; a ordem aparente a corromper o esprito, a coerncia ntima; a verdade sacrificada a um efeito sensvel. IHU On-Line - Em que medida esses conceitos transcendem ou 10 Antnio Srgio : filsofo portugus dedicado aos estudos da poltica, educao e da histria. Instituiu o Estado Novo em e, na condio de Presidente do Conselho de Ministros, implementou um regime de inspirao fascista, governando o pas como um ditador at Antnio Bento - Creio que a resposta anterior deixa j entrever as chaves para a compreenso do que alguns comentadores chamam de o enigma Maquiavel.

Em todo o caso, talvez importe sublinhar, uma vez mais, o carcter semanticamente flutuante e politicamente estratgico dos conceitos em questo. No fundo, o que eles significam algo de muito simples, mas tremendamente efetivo, a saber: que a influncia poltica de Maquiavel, a despeito de um desprezo e de um dio imensos, jamais deixou de se sentir.

Pelo contrrio, antes ganhou mais e mais terreno, e, como de certa maneira no poderia deixar de acontecer, preferencialmente no prprio seio daqueles que se declaravam seus inimigos polticos. Com efeito, foram principalmente os seus inimigos polticos mais resolutos e radicais que contriburam para fortalecer o interesse na sua pessoa e desencadear uma obsessiva curiosidade pela sua obra, ao ponto de a abominao e a diabolizao do nome Maquiavel ser acompanhada por um estranho sortilgio que, no raras vezes, se traduziu numa admirao e fascnio compulsivos.

Ernst Cassirer12, na sua obra O Mito do Estado, observou muito bem este aspecto primordial do significado e da repercusso poltica da obra de Maquiavel. Em suma, a reputao e a influncia de Maquiavel atingiram ao longo dos sculos um ponto tal que se foi tornando cada vez mais difcil encontrar qualquer diferena significativa entre os admiradores e seguidores de Maquiavel e os seus detratores e inimigos.

Pode, alis, admitir-se que na paradoxal aliana de uns e de outros que ho de ser buscadas as razes remotas da crescente fortuna do maquiavelismo e do hipermaquiavelismo no pensamento poltico moderno e contemporneo. O maquiavelismo, enfim, sobrevive12 Ernst Cassirer : filsofo alemo de origem judaica que pertenceu a Escola de Marburg. Foi um dos mais importantes representantes da tradio neokantiana de Marburgo.

Desenvolveu uma filosofia da Cultura como uma teoria dos smbolos, baseada na Fenomenologia do Conhecimento. E se Maquiavel morrera, os fantasmas associados sua teoria poltica haveriam de regressar abruptamente em todas as suas novas reencarnaes. Exemplo do que acabo de referir o modo como, j em , Christopher Marlowe13, no prlogo de O Judeu de Malta, apresenta o secretrio florentino: Apesar de o mundo pensar que Maquiavel morreu, Foi to-s a sua alma que voou para alm dos Alpes; E agora, que o Guise morreu, veio de Frana, Para ver estas terras, e folgar com os amigos.

Para alguns o meu nome , se calhar, odioso, Mas, vs, os que me amais, livrai-me das suas lnguas; E fazei-lhes saber que eu sou Maquiavel, Que no julgo os homens, nem, portanto, as palavras que estes dizem.

Muito me espantam aqueles E se alguns falam abertamente contra os meus livros, Ho de, ainda assim, ler-me, e desse modo chegar cadeira de Pedro; e mesmo quando me pem de parte, So envenenados pelos imitadores que no me largam. Tendo esse horizonte em vista, que chaves de leitura devem ser tomadas em considerao a partir das outras obras desse pensador, como Os Discursos sobre a primeira dcada de Tito Lvio? Antnio Bento - O problema no pacfico, nem isento de certas paixes, digamos assim, hermenuticas.

Muito antes de Carl Schmitt, outros autores, no menos importantes que o jurista alemo, insistiram no duplo aspecto do ensinamento poltico de Maquiavel, consoante este deduzido de O Prncipe ou de Os Discursos sobre a primeira dcada de Tito Lvio ou ainda de Histrias Florentinas.

No foi, porm, esta benigna interpretao que os autores da teoria poltica catlica da Contrarreforma colheram nos escritos de Maquiavel, nem a alegada admirao do secretrio florentino pelos ideais republicanos da Roma antiga magnificamente expressa nos Discorsi suscitou alguma vez neles simpatia ou simplesmente respeito. A primeira pea importante da sua carreira literria Lettres sur les aveugles lusage de ceux qui voient, em que resume a evoluo do seu pensamento desde o desmo at ao cepticismo e o materialismo ateu, o que o leva priso.

Mas a obra da sua vida a edio da Encyclopdie , que leva a cabo com empenho e entusiasmo apesar de alguma oposio da Igreja Catlica e dos poderes estabelecidos. Nota da IHU On-Line 18 Isaiah Berlin : filsofo po- um homem inspirado pelo Demnio, para arrastar os homens bons perdio, o grande subversor, o mestre do mal, le docteur de la sclratesse, o inspirador do Massacre de So Bartolomeu, o modelo de Iago.

O seu nome acrescenta um novo ingrediente figura mais antiga do Old Nick O Diabo. Para os jesutas, ele scio do diabo nos crimes, um escritor infame e um ctico, e O Prncipe , nas palavras de Bertrand Russell19, um manual para gangsters. Para concluir, refiro apenas as palavras que um autor da estatura de Leo Strauss20 consagra ao duplo ensino de Maquiavel tirnico em O Prncipe; republicano nos Discorsi : No escandalizaremos ningum, apenas nos exporemos ao ridculo amvel ou em todo o caso inofensivo, se nos declaramos inclinados para a opinio antiquada e simples segundo a qual Maquiavel era um mestre do mal.

Como tais compreenses repercutem na poltica ocidental? Antnio Bento - A questo do absolutismo, se tomarmos este conceito no seu estrito significado histrico e poltico, s se pe a partir do momento em que Jean Bodin22, priltico britnico. Fundou a escola de pensadores Straussians e foi forte crtico da filosofia moderna. Sua obra mais famosa, O Leviat , trata de teoria poltica. Neste livro, Hobbes nega que o homem seja um ser naturalmente social. Afirma, ao contrrio, que os homens so impulsionados apenas por consideraes egostas.

Tambm escreveu sobre fsica e psicologia. A respeito desse filsofo, confira a entrevista O conflito o motor da vida poltica, concedida pela Profa. Publicou o Tractus Tehologico-Politicus e tica, alm de ter deixado vrias obras inditas, estas publicadas em com o ttulo Opera Posthuma. Em pleno Iluminismo, numa poca em que uma afetada expresso pblica de uma repugnncia pela poltica fez a sua escola, no artigo Maquiavelismo da Encyclopdie t.

IX, Neuchtel, , p. Se um dia aceitardes um senhor, ele ser tal como eu vo-lo pinto: eis o animal feroz ao qual vos abandonareis. Tema de Capa Afinal, bem vistas as coisas, no teria sido o prprio Maquiavel de acordo com uma tradio republicana, liberal, romntica, e at marxista, de interpretao do seu pensamento muito pouco maquiavlico, um daqueles instrutores de prncipes que conhecem o jogo poltico do Estado e que integralmente o ensinam, ao passo que o maquiavelismo vulgar, esse sim, ensinaria a fazer outra coisa?

Tal j a opinio do prudente Espinosa14, para quem talvez Maquiavel quisesse mostrar quanto uma multido livre deve ter medo de confiar a sua defesa a um s, o qual, se no for vaidoso nem julgar que pode agradar a todos, tem de temer revoltas todos os dias, sendo por isso obrigado a precaver-se e a atraioar a multido em vez de govern-la Tratado Poltico, V.

Em idntico sentido se pronunciou Jean-Jacques Rousseau Fazendo crer que dava lies aos reis, dava-as bem grandes aos povos. O Prncipe, de Maquiavel, o livro dos republicanos. Ademais, numa elucidativa nota que acrescentou verso do Contrato social de , observa ainda Rousseau, a propsito de O Prncipe, de Maquiavel, o seguinte: Maquiavel era um homem honesto e um bom cidado. Mas, atado misso dos Mdicis, viu-se forado, na opresso da sua ptria, a mascarar o seu amor liberdade.

J a escolha do seu execrvel heri Csar Brgia manifesta bem a sua inteno secreta; e a oposio das mximas.

ABB E251 230 PDF

O Príncipe – Nicolau Maquiavel

.

EL LIBRO DE LOS AMORES RIDICULOUS MILAN KUNDERA PDF

Nicolau Maquiavel e a ética do poder político

.

ANSYS BLADEMODELER PDF

Nicolau Maquiavel e sua principal obra: O Príncipe

.

Related Articles